Fontes de novas ideias

Muitas pessoas se queixam da falta de criatividade e nunca têm boas ideias, que trabalham muito e não são reconhecidas, acomodando-se e aceitando esse fato como normal. Já os empreendedores de sucesso são diferentes: estão sempre atrás de novas ideias, de novos negócios e de verdadeiras oportunidades de mercado, ficando atentos a tudo que ocorre a volta deles.

E mais: são curiosos e questionadores, não aceitando a primeira explicação dada para os fatos ocorridos.

Constata-se que novas ideias só surgem quando a mente humana está aberta para que isso ocorra, ou seja, quando está preparada para novas experiências. Assim sendo, qualquer fonte de informação pode ser um ponto de partida para novas ideias e identificação de oportunidades de mercado.

A informação é primordial. É ela a fonte de novas ideias. Estar bem informado é o dever de qualquer empreendedor. Dado os avanços tecnológicos, atualmente a informação está ao alcance de qualquer pessoa, em diversas formas e veículos diferenciados, tais como:

• Televisão;
• Rádio;
• Revistas;
• Jornais;
• Internet;
• Outras pessoas;
• Fornecedores;
• Compradores;
• Entidades de classe;
• Governo;
• Concorrentes;
• Dentre outros.

Com isso, só não se informa quem não quer. O mais difícil consiste em selecionar a informação relevante, que realmente importa. Comumente, as pessoas tendem a dar mais importância àquilo de que mais gostam, excluindo então as novas potenciais oportunidades em seções de jornais que não leem, programas de televisão que não assistem, sites de internet que não acessam… Isso é natural.

Porém, o empreendedor curioso e criativo sempre está à procura de novas oportunidades e atento ao que ocorre a sua volta.

Dentre as diferentes formas de se gerar ideias, Dornelas (2005) sugere:
• Conversar com pessoas de todos os níveis sociais e idade (de adolescentes aos mais velhos experientes), sobre os mais variados temas;
• Pesquisar novas patentes e licenciamentos de produtos, em áreas onde o empreendedor tem intenção de atuar com um novo negócio;
• Estar atento aos acontecimentos sociais da região de interesse, tendências, preferências da população, mudanças de estilo e padrão de vida das pessoas e hábitos dos jovens e também dos mais velhos;
• Visitar institutos de pesquisa, universidades, feiras de negócios, empresas, dentre outros;
• Participar de conferências e congressos da área, ir a reuniões e eventos de entidades de classe e associações.

Por fim, o que o empreendedor deve fazer para estimular sua criatividade e gerar novas ideias é observar tudo e todos, de forma dinâmica, sem se preocupar, num primeiro momento, se uma ideia é viável ou não, ou seja, se ele tem ou não uma boa oportunidade nas mãos.

Tal análise deve ser feita em uma segunda etapa, após a seleção natural de várias ideias. Para isso, alguns critérios mais racionais de negócios devem ser utilizados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *